Hermestimos - V.'.O.'.H.'.

     O que na atualidade é chamado de Hermetismo, ou de Ciências Herméticas, compreende um campo de conhecimento muito vasto. Vemos cada dia ordens e sociedades herméticas; ouvimos falar de conhecimentos herméticos. À primeira vista, o leigo acredita que a palavra “hermética”, presente em inúmeras organizações, significa oculto, mistério, velado. Realmente não é este o sentido. Aquilo que é ensinado como Hermetismo, tem raízes tão antigas cujo início é impossível se precisar. Na verdade se pode considerá-lo como o registro de todos os conhecimentos que a humanidade foi acumulando ciclo após ciclo de civilização, mesmo muito antes da Atlântida.

     O Hermetismo na atualidade é conglomerado de conhecimentos que muitas instituições possuem – ou dizem possuir – e cujas origens são atribuídas a Hermes. Na verdade Hermes – considerado com um deus do Panteão da Antiga Grécia – recebeu o mérito de ser o autor desses conhecimentos, mas na verdade eles foram trazidos até o atual ciclo de civilização, ao antigo Egito por Thoth, também considerado um deus no Antigo Egito.

     Como a origem dos conhecimentos herméticos data de alguns milhares de anos, é natural que durante tão longo tempo hajam ocorrido grandes transformações, tanto no que diz respeito aspectos organizacionais quanto no contexto dos próprios ensinos. Disto resultou um grande número organizações no , assim como no presente, intituladas de “Ordem Hermética”. Os conhecimentos e a estruturação de algumas são oriundos das Escolas de Mistérios do Antigo Egito, mas existem outras que nada têm a ver com os ensinamentos deixados por Thoth. Naturalmente o termo “Ordem” dado aos ensinos de Thoth só apareceu depois da decadência do Egito, quando grupos de estudiosos deram nomes às organizações que transmitiam o conhecimento oriundo do Antigo Egito.

Não existe oficialmente qualquer organização que possa ser intitulada de Ordem Hermética, o que existe são organizações derivadas que tramitem ensinamentos herméticos de vários modos, em conformidade com aquilo a que se propõem. Temos ensinado de conformidade com uma Ordem recente denominada de V\O\H\criadas com o objetivo de atender mundo atual rigorosamente dentro dos Princípios Herméticos, mas dando prioridade a uma temática moderna. Nela os ensinamentos são milenares, mas não da forma como o eram apresentados no Egito. Na verdade essa organização existe para, sem modificar a essência dos ensinamentos de Thoth apresenta-los de forma atualizada no que diz respeito à linguagem e ao contexto dos eventos que ocorreram desde a época antiga.      Assim a V.'.O.'.H.'. fala a respeito e examinam detalhes de sistemas doutrinários recentes, doutrinas de eminentes iniciados que surgiram depois de Thoth, tais como Buda, Jesus, Maomé, Lao Tse, Apolônio de Tiana, e muitos outros.

     Na verdade o propósito da V.'.O.'.H.'.não é repetir o que já foi dito com propriedade no Antigo Egito, mas sim mostrar tudo em uma visão atual. Por exemplo, comparar a Teoria da Relatividade, as ciências físicas atuais, a Astrofísica, a Biologia, e as proposições da Física Quântica, assim como de inúmeros ramos do conhecimento humano atual. O funcionamento administrativo pode ser considerado secreto, mas não os ensinamentos. Quando muito podem ser considerados “reservados”, mas qualquer pessoa se desejar pode ter acesso a eles. O que acontece é que na V.'.O.'.H.'.não há busca de prosélitos.

     O sentido de “oculto”, de secreto, vem desde as Escolas de Mistérios. Quando as Ordens foram instituídas os ensinamentos passaram a ser “velados” em decorrência das perseguições contra o conhecimento promovidas por algo que é conhecido pelo nome de "Conjura do Silêncio” ou “Obscurantismo”. Mas, não há segredo algum no que o Hermetismo ensina.

     Vários ramos de ensinos herméticos existes cobrindo um vasto campo de conhecimentos. Os ramos são muito abrangentes por compreender um somatório de conhecimentos milenares da humanidade.

Podemos dizer que existem duas vertentes através das quais conhecimentos elevados chegaram a este ciclo de civilização: o Hermetismo e os Vedas. O Hermetismo é à base de todo o misticismo ocidental, enquanto os Vedas o é do oriental. Não existe religião oriental que não tenha como base, direta ou indiretamente, os ensinamentos Vedas, acontecendo o mesmo quanto ao Hermetismo no tocante ao ocidental. No Ocidente nenhuma organização pode-se dizer que não tenha Hermetismo como base, seja ela a Alquimia, a Cabala, a Magia, a Maçonaria, o Rosacrucianismo e muitas outras. Direta ou indiretamente todas as principais religiões ocidentais no passado ou no presente são “filhas” do Hermetismo, mesmo que não reconheçam isso. Falamos de duas vertentes básicas, mas vale salientar que, na verdade, elas, por sua vez, têm uma origem única na Atlântida. A aconteceu que os conhecimentos místicos da Atlântida chegou até este ciclo de civilização, uma parte através dos Vedas[1], e outra através do Egito. Atualmente havendo um reencontro das duas fontes; já é bem marcante o sincretismo entre as diversas doutrinas orientais e ocidentais.

     Sempre existiram muitas organizações que se intitularam de Sociedade, ou de Ordem Hermética, e também na atualidade, porém não existe uma Ordem Hermética geral. Há aspectos distintos dos ensinamentos milenares feitas por organizações diversas e a V\O\H\é uma delas. Existem diversos grupos de ensinamentos herméticos, algumas trazem ensinamentos autênticos, porém outras usam o nome “hermético” a conceitos de grupos, ou para divulgação de meras fantasias. Entre outras, como transmissoras de conhecimentos autênticos, citamos a V.'.O.'.H.'..Trata-se de um ramo do hermetismo cujo objetivo é transmitir conhecimentos milenares transmitidos por Thoth no Antigo Egito, porém fazendo uso de uma linguagem não velada, de conceitos expressos em linguagem atual, em consonância com a ciência de nossos dias. É uma organização cujo objetivo não visa qualquer lucro pecuniário, não tem por objetivo fazer  proselitismo. Assim sendo, é uma Ordem que se caracteriza por não ter sócios, nem membros efetivos, nem diretoria, nem sedes, nem bens materiais, nem mensalidades, nem taxas de quaisquer tipos. No plano material ela apenas atua através de estimulo a grupos independentes de estudo, relativamente autônomos orientados por discípulos mais experientes que não se intitulam de “mestre”. Quando muito eles podem ser considerados respeitáveis instrutores.

     A Ordem preserva o anonimato de grupos e de membros (discípulas) para evitar abordagens inoportunas e indesejáveis.

     Há uma direção orientadora de nível internacional e representada em alguns paises, trabalhando discretamente, e visando em especial a divulgação de verdadeiros conhecimentos milenares através de uma metodologia capaz de atender àqueles que sentem necessidade de certos conhecimentos tradicionais aplicados ao mundo atual.

     A administração da V.'.O.'.H.'.pode ser representada graficamente por uma pirâmide em que no ápice se situa o “Iniciado Maior”. O segundo patamar é ocupado pelos “Três Iniciados”, a seguir terceiro patamar ocupado por 12 membros. A seguir no quarto plano um “conselho” composto por 72 membros. Na verdade a atuação desses membros visa apenas adaptação dos ensinos à época, aplicação dos Princípios ao contexto histórico e científico, sem, contudo promoverem modificações dos ensinamentos básico milenares, pois a verdadeira via de acesso às verdades não se faz através de “mestres”, mas sim através do Egrégora da Ordem [2].

     Na V.'.O.'.H.'.nenhum instrutor tem qualquer prerrogativa de ingerência na vida das pessoas, nenhum titulo, nenhum poder administrativo, e nenhum título ele pode conceder a quem quer que seja.  Na verdade tem como papel apenas o de transmitir os conhecimentos básicos o Hermetismo, por meio dos quais é o próprio discípulo quem se torna apto para estabelecer ligação com o “Egrégora da Ordem Hermética”. É o discípulo quem amplia seu próprio nível de percepção para receber o conhecimento da “Eterna Fonte Cristalina” do saber cósmico.

 

 

 

[1] Vedas não é um povo, e sim um sistema.

 

[2] Egrégora não é uma pessoa, nem um ser, é apenas o registro que muitos chamam de Registro Akáshico.

© 2016 José Laércio do Egito. Criado e mantido por Filipe Lima.