"A correspondência nega a separação; A polaridade afirma a distinção”. (V.˙.H.˙.R.˙.)

Polaridade e a Correspodência

 

Na atualidade as Ordens estão divulgando conhecimentos que até bem pouco tempo eram mantidos velados e esta abertura que vem ocorrendo deve-se à preparação da humanidade para atravessar muitas situações que estão sujeitas há ocorrerem nos dias que virão e que requerem que a nova ordem tenha certos conhecimentos.

 

A própria história do Hermetismo, que muitos consideram mito, diz que apenas foi encontrado uma das tábuas esmeraldinas, mas que existem doze corredores - túneis - sob a esfinge de Gizé que conduzem a câmaras especiais. Em cada câmara está guardado uma das Tábuas de Esmeralda. Diz que no momento propício todas as “tábuas esmeraldinas” serão descobertas. [1]

 

Diz o “mito” que os mencionados túneis são visitados pelos Iniciados Maiores. Não podemos dizer se os corredores e as tábuas existem fisicamente ou se isto tem apenas um sentido simbólico, significando a descoberta de todos os princípios pelo buscador hermético.

 

Descobrir os cinco princípios adicionais é algo pessoal, algo que denota esforço próprio ainda que na busca o discípulo possa ser orientado no caminho a ser seguido até atingir o objetivo. Atualmente os Cinco Princípios Complementares não são mais velados, embora pouco divulgados, isto porque eles estão sendo evidenciados e muito bem estudados pela física.

 

Aquele que orienta um discípulo merecedor tem o direito de mostrar onde está a esfinge, de mostrar o sentido dos corredores subterrâneos, e de sugerir o que está contido em cada uma das tábuas, mas não tem o direito de dizer com clareza o que há escrito em cada uma delas.

 

É dever do Buscador da Senda esforçar-se ao máximo a fim de alcançar um determinado grau de desenvolvimento afim de que perceba por si mesmos os cinco princípios adicionais. Essa descoberta é a chave do segundo portal do conhecimento arcano e nesta condição ao discípulo é concedido o segundo grau dos estudos herméticos[2].

 

Até mesmo alguns “Peregrinos da Senda” [3] da V.˙.O.˙.H.˙. ainda não se deram conta de que os Princípios Herméticos apresentam-se intimamente imbricados entre si. Eles não se apresentam isoladamente, mas sim intimamente relacionados a tal ponto com o Mundo Imanente que um princípio chega a reger outros. Vejamos, por exemplo interrelaçao existente entre o Princípio da Polaridade e o Princípio da Correspondência.

 

A polaridade mostra separação, afastamento, enquanto a correspondência mostra a união, a junção em um só ponto. A polaridade é dissociativa ao passo que a correspondência é associativa. Aparentemente são opostos, mas examinados com atenção nota-se a existência de uma complementaridade entre um e outro.

 

A polaridade é o principio da contrariedade enquanto que a correspondência é o da identidade. O da polaridade tem natureza dispersiva, divisionária, por isto pode ser considerado centrifugo - afasta do centro - É o principio que produz a diferenciação. Neste sentido torna-se intimamente relacionado com a fragmentação, pois favorece a descontinuidade.

 

A correspondência é o principio da identidade pois tem natureza associativa, convergente, unitária, portanto é um principio ligado ao movimento centrípeto. É o principio que rege e promove a União, que conduz à Unificação. É o princípio que gera a integração entre tudo quanto há.

 

A polaridade manifesta-se no ser humano como individualidade e por isto gera o egoísmo no plano do agir, pois é o que faz cada pessoa sentir-se separada. É princípio que faz cada indivíduo sentir-se como um polo independente, cada pessoa direcionar toda a atenção e cuidados basicamente para seus interesses particulares, de forma unilateral e isto a torna individualista e exclusivista.

 

Como diz o V.˙.H.˙.R.˙. A POLARIDADE AFIRMA A DISTINÇÃO; A CORRESPONDÊNCIA NEGA A SEPARAÇÃO

 

“A individualização é o complemento natural do egocentrismo e pertence à própria natureza dos indivíduos personais e por isto é de todo impossível ser extirpado de si mesmo procurando matá-lo diretamente”.

O único meio de remediar os males que o egoísmo descontrolado pode produzir e integrá-lo num todo maior, ou, se possível, no Todo Absoluto.

 

A integração do ego chama-se altruísmo e já diz respeito ao Principio da Correspondência.

 

O Universo tem nuanças bem curiosas e em determinados níveis apresenta-se como algo cheio de conflitos, mas isto só ocorre quando qualquer principio é visto isoladamente. Vimos, por exemplo, que a polaridade é o princípio que afasta, que separa, e que integra à descontinuidade, promovendo o afastamento do Um. Visto assim tem-se a idéia de ser um principio basicamente negativo, o princípio satânico desagregador e oposto do Um. Constitui o fundamento do dualismo do qual, como já vimos, decorrem todos os males existentes. Mas isto só é desta forma quando o principio é visto somente por um dos lados, qualquer princípio tem dois lados, isto eqüivale dizer que qualquer um deles tem em si polaridade, e até mesmo a polaridade tem polaridade, como veremos a seguir.

           

A polaridade dissocia e a correspondência associa conforme vimos mas isto é fundamental na natureza. Mas temos que considerar que existe o lado positivo da dissociação que é a diferenciação. Existir no Mundo Imanente sem a diferenciação seria o tédio terrível, basta que se pense num mundo onde tudo fosse exatamente igual, único portanto. A repetição conduz ao tédio mas pior seria se não houvessem repetições. Então vemos que a polaridade gera a diferenciação e que a diferenciação, por sua vez, reduz o tédio tornando a vida no mundo imanente mais amena. Vemos que o ideal é o equilibro e não o extremismo até mesmo em nível dos Princípios Herméticos.

 

Já escrevemos algumas palestras sobre as implicações do tédio, mas essa condição somente existe ao nível de mente, e a mente não abrange todos os níveis de existência, contudo atinge plenamente o mundo imanente. Não é a essência do ser que não suporta o tédio e sim a mente. Por isto tudo no mundo imanente necessita da diversidade. Ao nível do existir não é assim, mas sim ao nível de mente. Unicidade sem variedade seria a monotonia, o tédio. Por outro lado variedade sem unicidade seria caos. Por sua vez Unicidade com variedade é harmonia.

 

Do que foi dito pode-se concluir que polaridade + correspondência = harmonia.

 

Polaridade mais correspondência gera harmonia, beleza, felicidade.

 

Diz o V.˙.H.˙.R.˙.“O universo é, pois, uma profunda unidade com distinção e uma vasta diversidade sem separação”.

 

 

 

[1] Vide tema 862

[2] Buscador da Senda - Título do Primeiro Grau da V.˙.O.˙.H.˙.

[3] Peregrino da Senda - Titulo do Segundo Grau da V.˙.O.˙.H.˙.

 

© 2016 José Laércio do Egito. Criado e mantido por Filipe Lima.